quinta-feira, março 08, 2012

MENSAGENS


Removedores de  Pedras
João 11:39-44

39-Então, ordenou Jesus: Tirai a pedra. Disse-lhe Marta, irmã do morto: Senhor, já cheira mal, porque já é de quatro dias.
40-Respondeu-lhe Jesus: Não te disse eu que, se creres, verás a glória de Deus?
41-Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste.
42-Aliás, eu sabia que sempre me ouves, mas assim falei por causa da multidão presente, para que creiam que tu me enviaste.
43-E, tendo dito isto, clamou em alta voz: Lázaro, vem para fora!
44-Saiu aquele que estivera morto, tendo os pés e as mãos ligados com ataduras e o rosto envolto num lenço. Então, lhes ordenou Jesus: Desatai-o e deixai-o ir.


Introdução :

                        A minha vida inteira eu ouvi pregações sobre esta passagem bíblica em que o pregador dizia: Jesus quer fazer milagres em sua vida, Jesus quer te levantar da morte, mas o que você pode fazer Deus não faz, ele só faz o que você não pode fazer, até eu mesmo já preguei muito sobre isto muitas vezes. A verdade é que durante muito tempo nós parecíamos mais papagaios do que pregadores e servos de Deus de verdade, que mantemos comunhão íntima com Deus, aprendemos os chavões evangélicos e as interpretações como se fosse realmente a interpretação bíblica, sem realmente refletirmos e pedirmos revelação de Deus, eu creio que Deus até nos usava na nossa ignorância.
Mas o que ocorre hoje, é que o Senhor está nos chamando para uma comunhão mais íntima e nos mostrando que meditar na bíblia nos faz ver coisas muito mais profundas do que a nossa mente limitada consegue ver.

Quando nós paramos para meditar nesta passagem bíblica tão rica e vemos Jesus mandando tirar a pedra, de maneira nenhuma Jesus está mandando o morto tirar a pedra, primeiro, porque isto seria impossível, morto não pode fazer nada, segundo lugar, a pedra estava pelo lado de fora e o morto estava do lado de dentro do túmulo, em terceiro lugar a pedra era muito pesada para um único homem remove-la, muito menos lázaro que já estava começando a entrar em estado de decomposição.

O que agente aprende com isso?

1º Quando Jesus mandou que tirasse a pedra, Jesus não se referiu ao morto, mas aos seus discípulos. Aí eu aprendo uma série de coisas tremendas com isto.
Jesus estava dizendo para Marta, Maria, os Discípulos : Se vocês querem ver milagre acontecer então vocês terão que agir com uma atitude de fé,  e comecem tirando a pedra que está impedindo vocês de o verem. Essa pedra esta na boca do túmulo e vocês é que precisam tirar, tire a pedra da incredulidade, tire a pedra do medo de ser decepcionado, tire a pedra do orgulho, da vaidade, tire a pedra do eu posso, ou eu não posso, tire a pedra do preconceito, tire a pedra da dúvida, e vocês vão ver os cegos enxergarem, os surdos ouvirem, os coxos levantarem, os paralíticos andarem, os leprosos sendo purificados e os mortos ressurgirem.
Dizer ao morto que ele tem que tirar a pedra é muito cômodo pára nós e tira a nossa responsabilidade, e quer saber, jamais veremos o milagre acontecer, porque só quem pode fazer o morto se mover é Jesus, o paralítico levantar é Jesus, o surdo ouvir, só Jesus, tocar no leproso e ele ficar purificado, só Jesus, e ninguém mais.
2º Tirar a pedra as vezes vai nos custar alguns danos, as vezes nos fará mexer com coisas que irão nos expor, vejam o que Marta disse: Senhor, já cheira mal, porque já é de quatro dias.(v.41)
É melhor não mexer neste morto, deixa a pedra no lugar, é melhor não mexer neste problema. E o tempo vai passando, passando, o problema vai crescendo, o morto apodrecendo, e aí não dá mais, passou o tempo do milagre, passou a oportunidade.
E aí começamos dar uma série de desculpas e ainda usamos a palavra de Deus, ah’, o importante não é vermos milagres, o importante é termos um coração sincero na presença de Deus, Jesus disse que muitos virão naquele dia e dirão: Senhor em teu nome profetizamos, curamos, expulsamos demônios, mas o Senhor lhes dirá: Nunca vos conheci. É melhor não mexermos com isso não, vamos ficar na nossa humildade, é melhor assim, mas irmos para o céu.
O que precisamos entender é que a obra de Deus que realizamos não é para irmos para o céu, se assustou? É isso mesmo, mas é para que levemos pessoas para o céu,  e existem situações que um milagre pode abrir caminho para muitas pessoas crerem e serem salvas. Nós realizamos obras porque o céu entrou em nós e nós queremos ver o céu entra na vida daquele que está em trevas. Vamos usar os recursos que o Senhor nos deu.

3º Jesus quer nos proporcionar oportunidades de vermos a glória de Deus aqui na terra ainda. A glória de Deus que ele quer nos mostrar, não é uma conta bancária gorda, nem um Jatinho, não é uma vida de fama, de estrela, não, ele quer nos mostrar o que ele pode fazer e não o que os homens podem fazer. (v.40)
Irmãos, se unir e investir grandes quantias no meu ministério e me colocarem em evidência, não é o que Deus pode fazer, isto é coisa que os homens podem fazer. Pode ser até que eu esteja fazendo a obra de Deus, mas não é Deus realizando a sua obra.
A obra de Deus só é realizada quando eu “creio” no que me ensina a palavra de Deus.
“Se tu Creres, Verás a Glória de Deus”.

4º Quando tiramos a pedra percebemos que o milagre acontece não só por que Deus ouve nossa oração, ou por que passamos a merecer por termos feito a oração certa, mas porque ele já ouviu o seu filho. Ele vai nos ouvir porque o Pai já ouviu o seu filho, é só por isso que podemos ter confiança que ele nos ouvirá, não é porque somos mais espirituais, nem porque temos o melhor dízimo, ou porque somos totalmente entregues a obra. Não é porque renunciamos mais ou menos, mas porque Deus o Pai já o ouviu. (v.41-42)
Estes sinais são importantes para que creiam que Jesus é de fato o filho de Deus.

5º Depois de removermos a pedra, depois de vencermos os obstáculos e vermos a Glória de Deus, temos a missão de desatar, dês mumificar o ressuscitado. A vida que vem da morte vem todo enrolado, cheio de dificuldade, cheio de dificuldade para caminhar, precisamos ensiná-lo a andar livremente, para isto é preciso paciência, não nos esqueçamos que ele estava morto, ainda tem alguma coisa que não cheira bem, não podemos querer que uma pessoa que acabou de ressuscitar já exale o bom perfume de Cristo, esta parte o Senhor deixou conosco.  Então, lhes ordenou Jesus: Desatai-o e deixai-o ir.
Não é para o impedirmos de caminhar, temos que deixá-lo caminhar, deixá-lo crescer e se tornar uma bênção na mão do Senhor.

Conclusão :
                        Deus procura removedores de pedra, gente que quer remover obstáculos para que outros tenham direito ao reino de Deus, gente que crê de verdade e gente que está com sede de ver a glória de Deus.


UMA HISTÓRIA, UMA VIDA, UM SONHO, UM MILAGRE!




[Introdução]


Para esta história, usarei nomes fictícios, para evitar constrangimentos a terceiros, porém a história é real, não é uma ficção, talvez se pareça com a sua história, mas quero dizer-te: Você que talvez tenha uma história parecida e não vê saída, este livro vai te ajudar a conhecer como o nosso Deus é poderoso para mudar uma história triste em uma história gloriosa. Repleta de vitórias.

Capítulo 1

Em um casebre feito de madeira, barro batido e telhado de latas de vinte quilos, lá no pé de um morro, em uma tarde, nascia um menino, sendo amparado por mãos de parteira, apenas mais um no morro. A história desta vida não começou ali , mas no momento de sua concepção. Dificuldades turbulências, engano, medo, desconfiança e ciúmes circulavam em meio a esta vida. Sua mãe uma jovem muito bonita, mas prisioneira dos caprichos e ciúmes de seu marido, sofria muito e com isto. Professora formada, não pode exercer o seu trabalho por causa do ciúme de seu marido, à tal ponto de rasgar suas vestes e deixar-lhe apenas com as vestes de baixo, impedindo-a assim de sair de casa.

Esta jovem acabou por ter muitos filhos, pois com a cegueira e ignorância de seu marido.

Quero retratar porém a história de um dos filhos, o quarto filho e o primeiro do sexo masculino. No dia 06 de agosto de 1949, em um morro chamado “Faz quem quer”, nascia então no bairro de Rocha Miranda no Rio de Janeiro, Sergio Ferreira Fraga.

Depois de uma gestação turbulenta e cheia de conflitos e ciúmes, a mãe de Sergio tem em um desses dias um sonho, ou um pesadelo, ou quem sabe um aviso e livramento de Deus.

Eis o sonho:

Estando dormindo, sonhou que seu marido lhe apunhalava com uma enorme peixeira vazando o seu ventre onde se encontrava o seu filho, como na realidade esta dormia de lado, foi se virando lentamente, parecia antes um fato consumado, sentindo as dores foi girando o corpo quando abre os seus olhos e se depara, já não mais em sonho, mas em realidade com o seu marido com a mesma faca na mão pronto para apunhalar-lhe o ventre. Seu marido rapidamente escondeu a faca, mas ela já tinha visto a cena e sem dúvida alguma isto afetaria a criança.

Nasce aqui uma pergunta: Quem viria ser esta criança, porque o diabo tentou impedir que ela viesse ao mundo? E porque Deus não permitiu que coisa tão horrível acontecesse nesta família que estava tão longe de Deus?

O tempo passa e Sergio começa a crescer, no decurso dos anos de seu crescimento acontecem coisas que no momento não compreendíamos.

Sua mãe e pai na tentativa de conquistar dias melhores se envolvem com espiritismo de Alan Kardec, os espíritos tomavam sua mãe e psicografavam, falavam por sua voz transmitindo mensagens do além, mas a situação era cada vez pior.

Certa vez, Sergio com apenas três anos de idade, presencia uma chuva de gelo que descobriu todo o seu casebre e sua tia varria o gelo com um cobertor na cabeça, sua mãe chorava, de resguardo do seu quinto filho, o qual dera o nome de Alan, em homenagem aquele que o tinham como guia espiritual. Cena chocante e inesquecível.

De outra feita ainda aos quatro anos de idade, houve a perda de um dos filhos o qual Sergio não lembra qual, e ao regressarem do cemitério, começou uma discussão entre os seus pais, sua mãe vestia um lindo vestido preto, ela era muito bonita e nesta discussão, uma bofetada na cara de sua mãe é desferida por seu pai, e ela cai inteira no chão da cozinha, outra cena chocante e inesquecível para Sergio.

Os anos se passaram e sua mãe sabiamente sabendo que no morro não tinha muita coisa para Sergio aprender, prendia-lhe dentro de casa, não o deixando se envolver com más companhia, até que chegou um dia em que conseguiram sair do morro, adquirindo um imóvel pela empresa em que seu pai trabalhava.

Sua mãe se chamava Maria e seu pai José, eles se amavam, mas o ciúme era muito grande e envolvidos em espiritismo a coisa ficava pior ainda. A bíblia diz em Deuteronômio 18 : 10-13

Não se achará no meio de ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador, nem quem consulte um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz estas coisas é abominável ao Senhor, e é por causa destas abominações que o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti.

Perfeito serás para com o Senhor teu Deus.

E também em Isaías 8 : 13 , 19-20

Ao Senhor dos exércitos, a ele santificai; e seja ele o vosso temor e seja ele o vosso assombro.

Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os feiticeiros, que chilreiam e murmuram, respondei: Acaso não consultará um povo a seu Deus? acaso a favor dos vivos consultará os mortos?

A Lei e ao Testemunho! se eles não falarem segundo esta palavra, nunca lhes raiará a alva.

Com isto as trevas tomavam conta da casa de Sergio. Mas, o que viria ser esta criança?

Certa vez Sergio correndo na frente de sua nova casa em Deodoro, encontra de baixo de um coqueiral, um lindo prato com doces contendo manjares e doce de abobora com coco, era tudo o que ele gostava em termos de doce, mas era época de festa dos ídolos Cosme e Damião, eram comidas oferecidas a ídolos, mas Sergio não sabia, tomando o prato e ao levar a boca sem que ele entendesse nada, uma mão invisível dá um tapa no prato voando longe todo aquele doce o deixando muito assustado, que correu para dentro de casa trêmulo.

Sem dúvida alguma Deus estava separando esta criança para uma obra lá na frente.

Mas Sergio continuou a crescer, guardado de violências, orgias, drogas, bebedices, até que ao aprender tocar violão começou a conhecer alguns amigos que começaram a levá-lo para alguns embalos onde os fez conhecer uma jovem envolvida com espiritismo de umbanda o qual também acabou se envolvendo por amar a tal jovem. Esta veio se tornar sua esposa e o envolvimento com o espiritismo começou a se tornar algo mais sério e envolvente. A partir daí sua vida começou a ser traumática, pois a influência dos espíritos em sua vida e em seu relacionamento era por demais desgastante, eles exerciam uma influência em todas as áreas de sua vida.

Deste casamento nasceram-lhe três filhos dois rapazes e uma menina, tudo o que o casal queria, mas as lutas eram muitas, doenças constantes, brigas, desrespeito, eram momentos traumáticos. Como não podia deixar de existir estavam presentes os ciúmes, as ameaças de suicídio, a falta de paz, a vontade de se libertar, pois o casamento passou para Sergio ser um outro tipo de aprisionamento, aquilo que deveria ser prazeroso era angustiante e uma inquietante prisão. Parecia que Sergio nascera para ser infeliz e um eterno prisioneiro.

Mas a bíblia sagrada diz em Jo 8:32 : conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Certa vez Sergio ao regressar da escola, no meio da avenida Brasil no Rio de janeiro, esperava ônibus para ir para casa, quando viu um jovem falando do amor de Jesus para alguém, Sergio não se conteve, a conversa não era com ele, mas sua sede era tão grande, sua filha estava doente, ele estava tão aflito, que se aproximou o mais perto que pode e começou a ouvir tudo o que o rapaz dizia, o jovem vendo o seu interesse, começou também a dirigir-lhe a palavra, e no final, Sergio acabou levantando as mão e aceitando ali mesmo na rua, que Jesus passasse a dirigia a sua vida. Sergio se dirigiu para casa com uma alegria contagiante e uma esperança nova, se sentindo livre.

Ao chegar em casa disse para a sua esposa tudo o que acontecera e disse mais, eu tenho certeza que eu vou ser crente. Sergio não entendia o que estava acontecendo e continuou levar sua vida normalmente sem saber que havia entregue a direção de sua vida a Cristo e quando alguém faz isso sinceramente ele também leva a sério.

A partir daquela data as coisas começaram a ficar mais estreitas para Sergio. O inimigo sabe quando Deus está para fazer algo na vida de alguém, por isso começou a querer envolver Sergio com coisas perigosas. Nesta época ele morava em um bairro chamado Chacrinha em N. Iguçu e a violência ali era assustadora, Sergio e sua esposa se envolveram em uma briga com vizinhos e quebrou o braço do vizinho. A partir desta data não tinham mais sossego, sempre esperando uma traição, quase todos os dias quando saia para trabalhar, se deparava com um cadáver próximo a sua residência, sua casa começou a ser forçada a noite quando dormia, e quando saía de casa, sua vida passou ser um verdadeiro pesadelo, com isto um vizinho próximo começou a oferecer-lhe uma arma automática, tentando-o convencer de que deveria se proteger.

Neste ínterim começaram a participara de reuniões em um centro onde o chamado “pai de santo” certa vez colocou uma sucuri recém caçada no pescoço da esposa de Sergio a qual dançou durante toda noite com aquela cobra no pescoço. Sergio ficou indignado e queria comprar a arma do amigo para matar o pai de santo, mas para o seu livramento preferiu se mudar daquele lugar, foi a melhor coisa que poderia ter feito.

Foram morar em Cascadura, um bairro do Rio de Janeiro e lá com muito sacrifício conseguiram comprar um apartamento pela caixa econômica.

Neste ínterim nasceu-lhe o seu filho caçula e houve uma precipitação médica, por um ato de desonestidade do mesmo para receber o dinheiro da ligadura no lugar do médico que estava fazendo o pré-natal e com isto o menino ficou com seqüelas de um parto prematuro e inconseqüente. Isto fez com que Sergio pensasse em procurar o rapaz da arma para acabar com a vida daquele médico.

A criança gritava dia e noite, Sergio e Sonia não se entendiam, não dormiam, tendo que trabalhar pela manhã Sergio dormia com algodões no ouvido e em baixo da cama. Sonia se revoltava, pois também estava com uma forte infecção nos pontos e não havia médico que desse jeito, estavam vivendo no limite, a separação, os desajustes eram mui grandes a angústia, o cansaço, o desespero e a vergonha dos vizinhos por aconselhamento médico resolveram se mudar e alugar uma casa arejada para ver se o menino melhorava, mas nada disso aconteceu, acabaram perdendo o apartamento. Mas o que Sergio e Sonia não sabiam era que Jesus estava cuidando de tudo, tudo não passava de uma conspiração divina para levá-los a clamar por ele pedindo ajuda pois ele tinha um plano em suas vidas.

E foi exatamente isto que aconteceu, nesta época Sergio e Sonia estavam freqüentando o centro espírita da tia de Sonia em busca de uma melhora, quando de repente morre a sua tia que era a chamada “mãe de santo” de câncer, isto chocou muito a Sonia pois como os guias não avisaram que ela estava com câncer para tratamento. No dia do velório apareceu uma outra tia de Sonia que havia se convertido e com uma linda brochura em seu peito brilhava a seguinte frase: “JESUS CRISTO VIVE” Sonia ficou obstinada em perguntar a tia o que significava aquilo, pois ela sempre soube que Jesus estava morto, mas a sua tia então pregou-lhe o evangelho e a convidou para ir em sua igreja, ali chegando com o seu filho doente no colo, algumas mulheres de oração a cercaram e puseram-se a orar por Serginho, seu filho que gritava assustadoramente como que se estivesse saindo um bicho de dentro dele. De repente, Serginho se cala e começa a dormir e aquela criança que não dormia dormiu durante todo aquele dia e nunca mais chorou daquele jeito, foi curado instantaneamente de uma forma sobrenatural em nome de JESUS.

Sergio não estava presente, mas quando soube do acontecido quiz conhecer a igreja e em chegando lá foi logo se derramando na presença deste Jesus Maravilhoso que o libertou e culminou-se ali a entrega total de Sergio aos braços do amado mestre, tornando-se servo fiel.

Deus começou então a preparar este casal para uma grande obra que já havia preparado desde quando ele estava no ventre de sua mãe. A partir daí Sergio começou a entender as coisa que haviam acontecido em sua vida e que tudo era somente porque existem hostes da maldade que conspiram para que não se cumpra a vontade de Deus na vida de seus servos e escolhidos.

Neste preparo, algumas coisas boas aconteceram, mas por causa de dificuldades que não convém mencionar, Sonia acabou se afastando da igreja porém nunca mais quiz saber de espiritismo, afinal a palavra de Deus não volta vazia, em Jo 8:36 diz que se o filho do homem vos libertar, verdadeiramente sereis livres, e foi assim. Sonia e Sergio foram libertos seus olhos espirituais se abriram. A bíblia manda quebrar os altares, havia um altar em suas casas, um altar que tinham ídolos que precisavam ser limpos das poeiras do dia a dia, mas aqueles ídolos, Sergio e Sonia os quebrou, os despedaçou juntamente com os apetrechos que usavam nas reuniões espíritas e lançadas no rio. Sergio e Sonia leram no livro de Êxodo 20 : 2-6

Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão.

Não terás outros deuses diante de mim.

Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.

Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.

e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.

E obedeceram ao pé da letra, aqueles deuses precisavam ser limpos por Sergio e Sonia, mas o Jesus que eles aceitaram, agora é quem os limpa a cada dia de suas impurezas.O milagre aconteceu, a paz passou a reinar neste lar, Jesus começou uma obra de restauração deste lar.

Sergio começou a se envolver logo com a obra, pois é músico e também com evangelismo, Sonia porém ficou alguns anos afastada, mas Jesus tem um plano com o casal e chama Sonia de uma maneira tremenda. Certo dia Sonia dormiu e sonhou o mesmo sonho que teve Jacó, ela viu uma enorme escada que dava da terra e subia para além das nuvens, e anjos de Deus subiam e desciam por ela levando os seus escolhidos, mas quando Sonia ia subir, viu seus filhos subindo e a escada se retirava de forma que ela ficava, e as crianças gritavam: mamãe, Jesus voltou e a senhora ficou.

Neste dia Sonia se levanta pela manhã de domingo se arruma e vai para a igreja, lá se deleita na presença do Senhor, o Pastor da Igreja nesta época estava querendo separar Sergio para o diaconato, então chama Sonia e tem uma conversa com ela dizendo que a obra que Deus tinha na nossa vida não poderia ser feita se ela não abraçasse a causa com ele, e desde então este casal vem fazendo a obra de Deus.

Sem dúvida nenhuma tem havido conflitos, momentos difíceis, mas Deus tem mostrado a diferença através deste casal.

Em 1989 este casal foi chamado para assumir a direção de uma igreja em S. João de Meriti, ficaram ali pastoreando como Diáconos durante um ano e meio, onde Deus os usou poderosamente.

Neste período, Sergio e Sonia passaram por experiências tremendas, tanto do poder de Deus, como de provisão divina, sem dúvida alguma Deus estava-os ensinando e moldando os seus caráter.

Certo dia ao chegarem de um retiro espiritual em uma segunda feira Sonia chama Sergio para orar por uma vizinha que estava paralítica e fazendo tratamento de choque, seu marido detestava crente, mas ela cria que Jesus poderia curá-la, embora ele odiasse crente sem dúvida ele queria ver sua mulher curada por isso saiu para a rua e permitiu que ela os recebesse para a oração. Sergio por sua vez não sabia o que ocorria com Suely, e estando muito cansado, desejava muito dormir cedo, mas sua esposa insistiu com ele então dobrou os joelhos e orou ao Senhor que lhe deu uma palavra em João 12 : 26 .

Se alguém me serve, siga-me, e, onde eu estou, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, o Pai o honrará.

Com esta palavra Sergio e Sonia saíram e ao chegar no local, colocaram a palavra de Deus com simplicidade para Suely, que ouviu e correspondeu positivamente e entregando sua vida nas mãos do Senhor Jesus, em seguida foi feito um apelo para ela se levantar da cama pois o Senhor iria curá-la, ao se levantar tremula foi feito uma oração com imposição de mãos quando de repente se manifestou um espírito maligno, era o espírito que a estava aprisionando e que lhe iria levar a uma cirurgia que lhe deixaria paraplégica para sempre, mas graças a Deus que intervém na hora certa. Suely de um salto ficou de pé e passou a andar normalmente, está andando até hoje, um de seus filhos é pastor, na rua onde ela mora, quase todos se converteram pelo testemunho da Suely, louvado seja o nome do nosso maravilhoso Jesus.

O tempo de Sergio e Sonia em São João de Meriti acabou e Deus o levou para dirigir outra congregação em Campo grande, também no Rio de Janeiro, ali ficaram até setembro de 1992, quando retornaram para a sua igreja de origem em duque de Caxias, Rio de Janeiro.

Agora começara uma nova fase na vida de Sergio e Sonia, uma fase muito difícil, Nesta época Sergio havia ficado desempregado, durante todo o período em que pastoreava mas Deus o estava sustentando, o mais fantástico em tudo isto, foi que exatamente no dia em que Sergio recebeu a notícia de que iria sair da direção da igreja, neste mesmo dia alguém lhe entregou um papel na mão o direcionando para um emprego na Petrobras, onde até hoje 31/05/2011 Sergio está trabalhando. Toda glória, toda honra sejam dadas ao Senhor Jesus.

Durante este tempo Sergio passou a se dedicar a fazer Cultos Evangelístico em praça pública, em Duque de Caxias, onde centenas de vidas foram alcançadas para Jesus, este trabalho cresceu tanto, se tornou conhecido no Rio de Janeiro, seu ministério começou a crescer, Sergio e Sonia não se deixaram esmorecer, apesar de dias bem difíceis, mas aos pés da cruz entende Sergio e Sonia que é o lugar do cristão.

Neste momento 19 anos após, Sergio e Sonia estão em uma congregação em Nova Iguaçu, atuando como um dos Pastores e ministro de louvor. Pois no último dia 02/04/2011, fora consagrado ao ministério Pastoral da Igreja Missionária Evangélica Maranata, da qual sempre fez parte.

Sergio e Sonia possuem um sonho, de que seu ministério seja expandido e serem bastante usados por Deus para que muitas vidas sejam alcançadas e que muitos milagres como os da vida de Sergio, Sonia e de Suely aconteçam.

A história continua, os sonhos serão renovados, uma vida vale mais que o mundo inteiro e para que essa vida seja salva é necessário:

UM MILAGRE!


MINHA FAMÍLIA

IX CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE PALAVRA PROFÉTICA